Sábado, 26 de Maio de 2018

O Repórter

Papa cita Dante e defende imigrantes em mensagem da Quaresma

Para Papa, atacar quem é diferente é sinal da morte da caridade

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação... - 06 de fevereiro de 2018 às 13:24
ANSA

CIDADE DO VATICANO (ANSA) - O papa Francisco voltou a defender o respeito ao próximo, especialmente aos estrangeiros, em mensagem para o período da Quaresma de 2018. No documento divulgado hoje (6) pelo Vaticano, o líder católico destacou os pontos de reflexão durante os 40 dias que antecedem a Páscoa.

"Na Divina Comédia, ao descrever o Inferno, Dante Alighieri imagina o diabo sentado num trono de gelo; habita no gelo do amor sufocado. Vamos nos interrogar então: Como se resfria o amor em nós? Quais são os sinais indicadores de que o amor corre o risco de se apagar em nós? O que apaga o amor é, antes de mais nada, a ganância do dinheiro, raiz de todos os males", escreveu o Pontífice.

Seguindo o texto, Francisco ainda destaca que a "recusa de Deus" causa a "desolação ao conforto" e que esses episódios internos acabam terminando em "violência" contra aqueles que são "considerados ameaças para as nossas 'certezas': o bebê nascituro, o idoso doente, o hóspede de passagem, o estrangeiro, mas também o próximo que não corresponde às nossas expetativas".

Explicando para os cristãos o que fazer para enfrentar esse tipo de situação, Jorge Mario Bergoglio ressaltou que mesmo sentindo "o remédio por vezes amargo da verdade", a Igreja deve oferecer durante o período de Quaresma o "remédio doce da oração, da esmola e do jejum".

O líder católico defendeu que os cristãos pratiquem, especialmente nesta época, a esmola que ajuda a "libertar-nos da ganância e ajuda-nos a descobrir que o outro é nosso irmão".

"Como gostaria que a esmola se tornasse um verdadeiro estilo de vida para todos! Como gostaria que, como cristãos, seguíssemos o exemplo dos Apóstolos e víssemos, na possibilidade de partilhar com os outros os nossos bens, um testemunho concreto da comunhão que vivemos na Igreja", escreveu.

- Falsos profetas:

Em outro ponto do texto, Francisco alertou para os "falsos profetas" que surgem em momentos difíceis, desde o tempo em que Jesus pregava. "Em vista de fenômenos espaventosos, alguns falsos profetas enganarão a muitos, a ponto de ameaçar apagar-se, nos corações, o amor que é o centro de todo o Evangelho", ressalta.

Comparando essas pessoas a "encantadores de serpentes", o sucessor de Bento XVI afirma que há dois tipos deles: aqueles que "aproveitam-se das emoções humanas para escravizar as pessoas e as levar para onde querem" e aqueles "charlatães, que oferecem soluções simples e imediatas para todas as aflições, mas com remédios que se mostram completamente ineficazes".

- Mensagem para todos:

Francisco ainda pede que sua mensagem para o período da Quaresma chegue a todos no mundo para que haja maior justiça social pelo mundo.

"Gostaria que a minha voz ultrapassasse as fronteiras da Igreja Católica, alcançando a todos vós, homens e mulheres de boa vontade, abertos à escuta de Deus", destaca.

"Se vos aflige, como a nós, a difusão da iniquidade no mundo, se vos preocupa o gelo que paralisa os corações e a ação, se vedes esmorecer o sentido da humanidade comum, uni-vos a nós para invocar juntos a Deus, jejuar juntos e, juntamente conosco, dar o que puderdes para ajudar os irmãos!", escreveu ainda.

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: