O Repórter

ITA Airways define Brasil como estratégico e mira expansão

Companhia aérea italiana estreou no país em junho

Por Agência Ansa
21 de junho de 2022 às 22:36
Atualizada em 21 de junho de 2022 às 22:41
Compartilhe a notícia:
Ansa
Companhia aérea italiana estreou no país em junho
Companhia aérea italiana estreou no país em junho

SÃO PAULO - A ITA Airways, nova companhia aérea de bandeira da Itália, afirmou nesta terça-feira (21) que o Brasil é um destino estratégico para a empresa, que começou a operar voos entre São Paulo e Roma no início de junho.

Substituta da antiga Alitalia, que foi retirada do mercado após uma longa crise financeira, a ITA é 100% controlada pelo Ministério da Economia e das Finanças italiano, que já iniciou uma concorrência para privatizar a companhia.

No entanto, segundo o vice-presidente internacional de vendas da empresa, Pierfrancesco Carino, o Brasil continuará sendo um mercado estratégico, independentemente de quem for o novo sócio.

"Não temos detalhes sobre a privatização para compartilhar. Tem muito interesse no mercado, e isso é muito bom para nós porque somos sólidos, e em um tempo recorde. Vamos nos manter fiéis a nosso plano, e nosso parceiro vai nos permitir desenvolver esse plano. O Brasil é estratégico para nós e vai continuar sendo no futuro", declarou o executivo durante coletiva de imprensa em São Paulo.

O governo italiano recebeu duas propostas pela ITA: uma de um consórcio formado pela empresa aérea alemã Lufthansa e pelo grupo suíço de navegação MSC, e outra da gestora americana de private equity Certares, acionista da Azul.

Retomada

A ITA conta hoje com cinco voos semanais entre São Paulo e Roma, frequência que se tornará diária a partir de agosto, na alta temporada de verão na Itália.

De acordo com Andrea Taddei, country manager da empresa no Brasil, o primeiro voo decolou de Guarulhos completamente cheio, assim como diversos outros que se seguiram desde então.

"Isso passa uma mensagem importante dos clientes brasileiros, estamos muito felizes em receber essa mensagem. Depois da pandemia, as pessoas não podem esperar para colocar os pés em um avião, e achamos que essa tendência vai continuar nos próximos meses", acrescentou.

Por enquanto, a ITA usa aviões Airbus A330 herdados da Alitalia, mas novos jatos A350 devem começar a operar no Brasil já em agosto. "Estamos muito entusiasmados em estar no Brasil, é um dos destinos mais importantes para a ITA, e não vamos ficar satisfeitos com São Paulo", disse Taddei.

A companhia italiana fechou recentemente um acordo de codeshare com a Azul, o que lhe dará acesso a oito destinos brasileiros: Belém (PA), Cuiabá (MT), Santos Dumont, no Rio de Janeiro (RJ), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Juazeiro do Norte (CE), Confins (MG) e Curitiba (PR).

Mas a ITA também já mira abrir novas rotas próprias no Brasil. "Começamos em São Paulo porque é a cidade mais industrializada, mas sabemos que o Brasil é mais que São Paulo. No futuro, dependendo da nossa frota, podemos olhar também para outros destinos brasileiros, e não é segredo qual pode ser o próximo, porque o Rio de Janeiro também é um destino muito importante", afirmou Taddei.

Últimas de Economia