O Repórter

PM que atirou em campeão mundial de jiu-jítsu é preso em São Paulo

Justiça determinou prisão por 30 dias de Henrique Otávio Oliveira Velozo

© IBJJF
Por OREPORTER.COM
07 de agosto de 2022 às 20:30
Atualizada em 07 de agosto de 2022 às 20:32
Compartilhe a notícia:
reprodução / redes sociais
PM Henrique Velozo é suspeito de ter atirado na cabeça de Leandro Lo
PM Henrique Velozo é suspeito de ter atirado na cabeça de Leandro Lo

SAO PAULO - A Polícia Civil de São Paulo prendeu o policial militar Henrique Otávio Oliveira Velozo, neste domingo (7). Ele é suspeito de ter atirado no campeão mundial de jiu-jítsu, Leandro Pereira do Nascimento Lo.

Leandro Lo, de 33 anos, oito vezes campeão mundial e considerado um dos maiores da história de jiu-jítsu foi baleado na cabeça durante um show no Clube Sírio, em São Paulo.

O lutador foi encaminhado ao Hospital Municipal Doutor Arthur Ribeiro de Saboya, mas, de acordo com o advogado da família, Ivã Siqueira Junior teve morte cerebral.

Lo era um dos atletas com melhor performance no jiu-jítsu no Brasil, com oito títulos de campeão mundial como faixa preta desde 2012.

Dinâmica do crime

O crime aconteceu na madrugada de sábado para domingo (7). De acordo com o boletim de ocorrência, testemunhas disseram que o agressor, após discussão, dirigiu-se à mesa onde estava Leandro Lo e pegou uma garrafa na mesa. O lutador "se levantou, tirou a garrafa da mesa" e "... em golpe de luta o derrubou e o imobilizou. Amigos da vítima separaram ambos". Mas então o homem sacou a arma e atirou na testa de Leandro Lo, que teve a cabeça chutada duas vezes.

O autor do crime foi reconhecido pela polícia de São Paulo. É o policial militar Henrique Otavio Oliveira Velozo. Ele é suspeito de atirar no campeão mundial de jiu-jitsu Leandro Lo.

A Polícia Militar lamentou o ocorrido e informou que um inquérito foi aberto para apurar o ocorrido. O caso é investigado pela 16ª Delegacia de Polícia, da Vila Clementino.

Atirador preso


Mais tarde, a Polícia Civil de São Paulo prendeu o policial militar Henrique Otávio Oliveira Velozo, após a Justiça determinar a sua prisão temporária por 30 dias.

O PM era procurado após fugir da cena do crime, segundo testemunhas. Ainda na tarde deste domingo, ele se apresentou na Corregedoria da PM, conforme informou ao G1 o delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo, Osvaldo Nico Gonçalves.

Últimas de Brasil