O Repórter

Rússia multa Google em US$ 360 milhões por conteúdos sobre Ucrânia

Empresa não teria retirado informações sobre a guerra

Por Agência Ansa
18 de julho de 2022 às 13:42
Atualizada em 18 de julho de 2022 às 13:44
Compartilhe a notícia:
EPA
Rússia diz que Google não bloqueou informações falsas sobre a ofensiva na Ucrânia
Rússia diz que Google não bloqueou informações falsas sobre a ofensiva na Ucrânia

MOSCOU - Um tribunal russo multou a empresa norte-americana Google em US$ 360 milhões por não remover conteúdos sobre a invasão de Moscou à Ucrânia.

A agência reguladora de mídia, a Roskomnadzor, informou nesta segunda-feira (18) que a plataforma de vídeo de propriedade do Google, o YouTube, não foi capaz de bloquear "informações falsas" sobre a ofensiva em território ucraniano, "propaganda extremista e terrorista" e conteúdos "convocando menores para participar de manifestações não autorizadas".

De acordo com a Roskomnadzor, o valor da multa foi baseado na receita anual do Google em solo russo.

Nos últimos anos, as autoridades de Moscou aumentaram a pressão em cima das empresas ocidentais de mídia social com diversas multas e ameaças. O objetivo é remover as críticas ao país da internet, um dos últimos bastiões da liberdade de expressão na Rússia.

Em uma entrevista à agência de notícias russa "RIA Novosti", o especialista Vladimir Zykov destacou que a multa é a maior já imposta a uma empresa de tecnologia por um tribunal de Moscou. No entanto, ele destacou que a Rússia "não receberá o dinheiro", principalmente pelo Google ter deixado recentemente o mercado da nação.

Na Rússia, as penalidades legais para as pessoas que se manifestarem contra o conflito na Ucrânia ficaram ainda mais pesadas. Os culpados podem pegar até 15 anos de prisão e muitas pessoas já foram detidas por tais acusações.

Últimas de Mídia & Cia