O Repórter

Vila Isabel reedita Gbalá com bom visual na Sapucaí

Escola foi a terceira a desfilar no complemento do Grupo Especial

Por Rafael Max
13 de fevereiro de 2024 às 02:12
Atualizada em 25 de abril de 2024 às 05:08
Compartilhe a notícia:
Dhavid Normando/Rio Carnaval
Tripé de abertura da Vila Isabel
Tripé de abertura da Vila Isabel

RIO - A Unidos de Vila Isabel entrou no Sambódromo da Marques de Sapucaí com o enredo Gbalá - Viagem ao Templo da Criação, reedição do carnaval de 1993. Embora o desfile da época tenha terminado com um 8º lugar, o samba composto por Martinho da Vila ainda é um dos mais lembrados pelos torcedores da agremiação. O desfile foi desenvolvido por Paulo Barros, abordando aborda a criação do mundo, a importância das crianças e os ensinamentos dos orixás. 

No desfile, a Vila Isabel retratou a pureza das crianças como a maneira de restabelecer o criador com sua criação, passando pelos grandes problemas da humanidade, como a guerra e a devastação ambiental. 

Em seguida, a escola mostrou os seres da natureza e o corpo humano. Seres marinhos, frutas e as partes do corpo humano vieram em várias alas da Vila Isael.

A partir daí, a escola passa pelos valores ensinados por cada Orixá, até chegar aos ensinamentos para que as crianças valorizem os cuidados da saúde do corpo, da mente e do espírito.


Quinto carro da Vila Isabel (Foto: Dhavid Normando/Rio Carnaval)

O carnavalesco Paulo Barros voltou a impactar visualmente em seu quarto desfile pela Vila Isabel. O abre-alas que fala da criação fez um espetáculo de fumaça como se estivesse pegando fogo em sua passagem. O tripé sobre o mundo das águas se baseou em uma cena do filme Moana. O quarto carro, que representava o corpo humano, veio sem componentes, apenas as esculturas retratando a musculatura humana. Já a quinta alegoria - sobre Omulu - apostou na alegoria humana, marca registrada do carnavalesco.

Já o samba não deixou de estar na ponta da língua dos componentes. As fantasias eram de fácil entendimento, proporcionando uma boa leitura do desfile. Após um terceiro lugar no carnaval passado, a Vila Isabel quer voos mais altos para 2024.

Últimas de Rio