O Repórter

YouTube retira do ar vídeo de Bolsonaro com embaixadores

Durante falas, presidente atacou sistema eleitoral brasileiro

Por Agência Ansa
11 de agosto de 2022 às 01:10
Atualizada em 11 de agosto de 2022 às 01:15
Compartilhe a notícia:
AFP
A reunião ocorreu no dia 18 de julho no Palácio do Planalto, em Brasília.
A reunião ocorreu no dia 18 de julho no Palácio do Planalto, em Brasília.

SÃO PAULO - O YouTube informou nesta quarta-feira (10) que retirou do ar a gravação da reunião do presidente da República, Jair Bolsonaro, com embaixadores no último dia 18 de julho. Também foram excluídos vídeos que contestavam que Bolsonaro foi vítima de uma facada em 2018.

Sobre as falas do presidente, a plataforma informou que a "a política de integridade eleitoral do YouTube proíbe conteúdo com informações falsas sobre fraude generalizada, erros ou problemas técnicos que supostamente tenham alterado o resultado de eleições anteriores, após os resultados já terem sido oficialmente confirmados".

Conforme a rede social, essa diretriz agora também se aplica às eleições brasileiras de 2014 e 2018.

Naquele dia, Bolsonaro atacou o sistema eleitoral brasileiro, voltou a atacar as urnas eletrônicas e apresentou falsas acusações de que houve fraude no pleito e 2018, em que saiu vitorioso.

Já sobre a facada, o YouTube justificou a retirada por conta do discurso de ódio, mas não informou quantos foram os vídeos excluídos.

"Nossa política de discurso de ódio proíbe conteúdo que negue, banalize ou minimize eventos históricos violentos, incluindo o esfaqueamento de Jair Bolsonaro. O discurso de ódio não é permitido no YouTube, e removeremos material sobre o esfaqueamento de Jair Bolsonaro que viole esta política se não fornecer contexto educacional, documental, científico ou artístico no vídeo ou áudio", acrescentou.

Últimas de Brasil